Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Saiba como podemos lidar com as preocupações

Psicologia
preocupações do dia a dia

Saiba como podemos lidar com as preocupações

Saiba como lidar com as preocupações

Preocupar-se é um hábito que adquirimos no decorrer da vida, acreditando que a preocupação nos ajuda a resolver os problemas ou que ela impede que um evento nos pegue de surpresa e nos de uma rasteira.

Compreender o processo da preocupação pode ajudá-lo a ter mais controle sobre ela.

Para que este processo seja desencadeado é necessário que você obedeça a um  padrão de regras que contribuem para o seu desenvolvimento, para reforçá-la, e por fim, perpetuá-la.

Ela transforma-se num estilo de funcionamento que irá prevalecer em sua vida e deste modo você irá se preocupar sempre!!!

Mas como esse processo acontece?

Primeiro é necessário que você imagine uma história sobre coisas ruins que podem acontecer.

O fato de você imaginar uma história sobre coisas ruins o torna responsável por este fato e se existe algo ruim que pode acontecer e você é responsável por ele, então é necessário se certificar, isto é, ter certeza de que este fato realmente vai acontecer para não ser pego de surpresa.

Desta forma, você entra num estado de alerta, inicia uma busca por evidências de que esses fatos irão acontecer e passa a tratar todos eles como verdadeiros, de sua responsabilidade e assumi uma postura central na situação onde tudo que acontece passa a ser um reflexo da sua pessoa.

Quanto mais você considerar que esses fatos ruins são verdadeiros, mais irá se preocupar e  com isso suas preocupações irão se tornar cada vez mais reais e poderosas.

as preocupações do dia a dia

 

Pois bem, agora suas preocupações são reais, poderosas, importantes e começam a te afetar profundamente  tanto físico  como emocionalmente e você começa a apresentar sintomas e sentimentos desagradáveis como insegurança, baixa autoestima, humor oscilante, insônia, dores de cabeça, calafrios, coração acelerado, entre outros.

Ao perceber todos esses sintomas deseja livrar-se deles, mas não consegue, não tem controle sobre eles e como consequência  sente-se incapaz, frágil e um fracasso. O que resta?  Ser uma pessoa altamente preocupada. Preocupar-se sempre,  mais do que nunca!!!

Chegamos ao ponto principal deste processo e a pergunta é: Como lidar com as preocupações?

De fato preocupar-se às vezes é necessário, porém de maneira mais eficaz.  Para tornar a preocupação mais eficaz é preciso identificar e distinguir as preocupações produtivas das improdutivas.

A preocupação produtiva é aquela que o ajuda a resolver problemas e o leva a uma ação que  pode efetivamente ser realizada no momento. Ela se caracteriza quando você  identificar que existe uma questão e ela tem resposta,  ao se focalizar em único acontecimento e não em uma reação em cadeia de vários eventos, aceitar possíveis soluções mesmo que imperfeitas, não usar a ansiedade como um guia e reconhecer o que se pode controlar e o que não se pode.

Já a preocupação  improdutiva  é aquela que gera uma porção de “e se”, que não conduz a nenhuma ação concreta e não ajuda a resolver  seus problemas. Você pode identificá-la ao perceber que é uma preocupação  com questões  sem respostas, sua atenção se direciona para uma  cadeia de acontecimentos, há uma rejeição em relação a uma possível solução por não considerá-la perfeita,  alimenta pensamentos ilusórios de que irá se sentir menos ansioso estando preocupado e obterá controle sobre tudo através dela.

 É importante ser capaz de determinar quando deve prestar atenção a uma preocupação ou quando é preciso descartá-la.  Questione a sua preocupação. Pergunte a si mesmo se há algo a ser feito nesse momento. Se houver então você pode transformar sua preocupação em solução de problema.

Em vez de se torturar com os “e se” ou com preocupações em relação à maneira como o mundo deveria ser, você pode aceitar as adversidades como mais um desafio a ser superado. Este poderia ser um ponto de partida.

Você pode determinar se existe uma preocupação produtiva a ser considerada através da reavaliação do evento, para então identificar uma  atitude a ser tomada. Às vezes, você pode estar distorcendo a realidade. Rever as suas interpretações e avaliações dos fatos pode mostrar que está tirando conclusões precipitadas, prevendo catástrofes que talvez nem aconteçam e que geram um grande sofrimento. Você pode analisar quais os custos e benefícios que terá com a interpretação atual, verificar as evidências, colocar as coisas em perspectiva, buscar maneiras diferentes de entender um mesmo evento e com isso obter mais controle sobre as preocupações.

Com suas preocupações controladas você pode se aproximar de novas pessoas, encarar novos desafios, assumir riscos, viver a vida no presente ao em vez de se preocupar com um evento que talvez nunca aconteça. Você pode sentir  a vida, melhorar o seu presente, fazer tudo com menos ansiedade e ser mais feliz.