Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Torcicolo. Causas e Tratamentos

torcicolo

Torcicolo. Causas e Tratamentos

O torcicolo é o termo popular dado à cervicalgia que ocorre de forma transitória, se traduz na dor e na dificuldade de movimentar o pescoço, uma dor que ocorre na região cervical da coluna.

A cervicalgia se instala de maneira insidiosa, ou seja, os sintomas se intensificam vagarosamente, e pode ser identificados como: diminuição da amplitude de movimento (pescoço se movimenta menos), postura antálgica (o paciente adota uma postura de defesa para diminuir a dor), dor que piora com movimentos e com palpação muscular.

No Brasil, acredita-se que 55% da população terão estes sintomas, sendo que destes, 12% das mulheres e 9% dos homens terão cervicalgia crônica. No entanto, é que ele não é um problema em si e sim o sintoma de que pode haver algo errado com a sua coluna cervical. Muitas vezes o torcicolo é o primeiro sintoma de uma futura hérnia discal.

Conheça as causas mais comuns:

Síndrome Dolorosa Miofascial – posturas viciosas e o estresse são as causas mais frequentes;

Osteoartrose – alterações degenerativas das articulações causada pelo envelhecimento pode levar à deformidades da coluna cervical provocando dores;

Traumáticas e Fraturas;

Inflamatórias – isto ocorre devido a doenças reumatológicas como artrite reumatoide, lúpus, espondilose anquilosante, entre outras;

Infecciosas – meningite, caxumba, abscessos, etc.;

– Disfunção da Articulação Temporomandibular (ATM);

Tumores  – locais ou metastáticos;

Congênito – devido a alterações musculares congênitas;

Estenose do Canal Vertebral – diminuição do canal vertebral, no qual se encontra a medula, isto ocorre também por causa do processo degenerativo;

Hérnia discal – desencadeará dor em região cervical com irradiação para os braços, associado a formigamentos, perda de força e sensibilidade;

Faz-se necessário uma avaliação criteriosa para isolar o fator causal dos sintomas e a partir daí planejar um programa de tratamento adequado a cada caso.

Na fase aguda dos sintomas são necessárias medidas antiinflamatórias (fisioterapia analgésica), alongamentos leves, compressas de água quente e repouso. Após um alívio das queixas o tratamento não se encerra, é preciso trabalhar a flexibilidade, fortalecimento e estabilidade muscular com o objetivo de manter o funcionamento adequado do complexo cervical e evitar futuras reincididas. Podemos trabalhar na fase subaguda com RPG (reeducação postural global) e complementar na fase final com o Pilates.

 

Centro Avançado de Fisioterapia – Spa Sorocaba

Rodrigo Martinez
Fisioterapeuta – CREFITO 90311-F
Especialista em Traumato-Ortopédico e Musculoesquelético, RPG, Pilates, Reabilitação Funcional / Hidroterapia.