Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Adolescência e seus desafios

atividade física na adoslecência

Adolescência e seus desafios

Adolescência e seus desafios

 

A adolescência é um período de transição entre a infância e a vida adulta. Não existem limites específicos em termos de idade, mas a puberdade (um fenômeno biológico) pode ser encarado como o início da adolescência. Durante este período a a jovem pessoa amadurece sexualmente, estabelece sua identidade enquanto indivíduo e começa a enfrentar os desafios relativos às escolhas vocacionais, relacionais e filosóficas. A adolescência é um período criado culturalmente, existindo com diferentes características em diferentes sociedades.

Até mesmo não existindo em algumas. No caso das sociedades ocidentais, a duração do período relativo à educação necessário para o desenvolvimento tecnológico da sociedade criou um intervalo entre o amadurecimento físico da pessoa e o status e privilégios (e ônus) da vida adulta. Embora este período de transição ofereça para a jovem pessoa um tempo maior para o desenvolvimento de habilidades e potencialidades, preparando-se para o futuro, também cria um período atravessado por diversos conflitos e ambivalências entre dependência e independência, entre os valores dos pares e os valores dos adultos.

De tempos em tempos surgem diversas tensões entre adolescente e seus pais à medida que os primeiros querem crescer e empregar suas recém-descobertas habilidades. Geralmente, os pais querem que seus adolescentes demonstrem maturidade, bom senso e independência, mas comumente dentro de limites mais restritos do que os últimos gostariam. Alguém disse, certa vez, com sabedoria, que a vida adulta começa aproximadamente 2 anos antes do tempo que qualquer pai está disposto a admitir, mas 2 anos mais tarde do que do tempo que os adolescentes costumam proclamá-la.

A maioria dos pais se mantém bastante próximo de seus adolescentes em crescimento, que precisam trabalhar muito e enfrentar importantes desafios para provar para seus pais e para si mesmos que realmente é capaz de fazer as coisas por si mesmo e que seus autoconceitos são firmes o suficiente para que ele consiga manter-se comprometido com suas responsabilidades e preparado para enfrentar os riscos da independência. Os pais que “seguram” demais seus filhos podem fazer com que a jovem pessoa em busca de liberdade sinta-se culpada (“acho que meus pais precisam de mim”) ou inadequada (“eles não acreditam que sou capaz de fazer as coisas por mim mesmo”).

Pesquisadores apontam que tanto um excesso quanto uma ausência de envolvimento com o desenvolvimento dos adolescentes pode dificultar a conquista da independência. O excesso de envolvimento no crescimento dos adolescentes pode gerar níveis de dependência da relação que interferem no crescimento e no desenvolvimento do autoconceito.