Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Caminhos para emagrecer

Psicologia
caminhos para emagrecer

Caminhos para emagrecer

Caminhos que as pessoas percorrem para emagrecer

Vamos conversar um pouco sobre os inúmeros caminhos que as pessoas percorrem para emagrecer. Existem muitas formas de perder peso, como todos sabem. As redes sociais, as revistas, a TV, profissionais de diversas áreas, instituições, enfim, o mundo todo vende programas de emagrecimento que prometem o emagrecimento rápido, remédios “naturais”, pílulas milagrosas e é um mercado muito próspero, pois as pessoas compram. Há também as dietas rápidas que funcionam a curto prazo, as pessoas perdem peso rápido, porém com sérios danos ao organismo.

Há também uma forma rápida para perder peso, uma medida radical e definitiva, a cirurgia bariátrica. Há alguns anos, ela chegou com tudo e muitas pessoas “escolheram” esse caminho. O que vemos hoje são muitas pessoas, que fizeram cirurgia bariátrica, com o objetivo de emagrecer, chegando nos consultórios de psicólogos e psiquiatras com dependência de álcool e drogas. A opção da cirurgia bariátrica é válida, porém com restrições, avaliação, preparo e cuidado. Para uma pessoa se submeter à cirurgia, ela precisa saber todos os riscos e se apresentar compulsão alimentar, é necessário que ela seja tratada desse distúrbio para depois poder fazer a cirurgia. A cirurgia é um recurso válido, mas não a primeira escolha, exceto alguns casos em que sem a cirurgia, a pessoa morrerá.

Existem formas saudáveis de emagrecer, mas é um processo, que é composto por uma equipe multidisciplinar: psicólogo, nutricionista, educador físico e médicos, de diversas especialidades, como o psiquiatra, pois a compulsão alimentar, depressão e ansiedade estão presentes, na maioria dos casos.

 A ideia é mudança de Comportamento, de hábitos, de aprender a desenvolver uma relação mais saudável com a comida. Os pensamentos e as emoções distorcidas fazem parte do desenvolvimento da psicopatologia, mas não são o único fator importante. O processo bioquímico, os eventos da vida e as relações interpessoais são conteúdos que interagem em conjunto formando o comportamento saudável ou patológico. Aprender a identificar e manejar os pensamentos e emoções possibilita o desenvolvimento de habilidades para a mudança do comportamento alimentar. Antes de pensar em soluções rápidas ou mágicas, invista em autoconhecimento e estabeleça metas atingíveis, com a ajuda de uma equipe qualificada para te acompanhar no processo de mudança. 

Silvia Limoni

Psicóloga – CRP: 06/82017