Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Dieta Mediterrânea, saiba tudo sobre!

Dietas
dieta mediterrânea

Dieta Mediterrânea, saiba tudo sobre!

Curiosidades da Dieta Mediterrânea

Há tempos a Dieta Mediterrânea vem ganhando adeptos em todo mundo, afinal, a longevidade dos povos que habitam a região chamou a atenção dos especialistas da área da saúde. Embora cada país tenha seus costumes e hábitos peculiares na cozinha, alguns elementos estão igualmente presentes na alimentação de italianos, espanhóis, portugueses, gregos, egípcios e demais populações de países banhados pelo Mar Mediterrâneo.
De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Barcelona, na Espanha, a Dieta Mediterrânea é capaz de reduzir em 30% as chances de ataques cardíacos, doenças vasculares em geral e AVCs.

Mas o que há de tão inusitado nesta dieta? Como ela é capaz de trazer tantos benefícios?

A resposta é mais simples do que parece: reeducação alimentar. Balanceada e com a inclusão de todos os grupos de alimentos, escolhas saudáveis e consumo moderado, é possível segui-la com tranquilidade e obter ótimos resultados de redução de peso e medidas.

Confira os principais pontos da Dieta Mediterrânea e como segui-los:

dieta mediterrânea

– Substitua óleos em geral pelo azeite de oliva:

Ele é rico em vitamina E, beta-caroteno e ácidos graxos monoinsaturados, que protegem o coração.

– Exclua os industrializados:

optem por descascar mais e desembalar menos. Inclua em sua dieta verduras, legumes e frutas nas principais refeições. Esse grupo de alimentos é rico em vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes, que também ajudam a prevenir as doenças do coração e alguns tipos de câncer.

– Cardápio de massas, arroz e grãos:

sim, eles devem estar presentes na dieta, mas com moderação e sempre que possível em sua versão integral.

– Incluir iogurtes e queijos:

são as melhores fontes de proteína de alto valor biológico, minerais e vitaminas. O leite fermentado possui microrganismos vivos que atuam para o bom funcionamento da flora intestinal.

Castanhas para o lanche:

são grandes fontes de gordura boa e ajudam a reduzir o colesterol ruim. Possuem vitamina E e selênio, os melhores antioxidantes.

– Mais peixe e menos carne vermelha:

embora a carne seja muito importante para o ser humano, seu consumo deve ser regrado. A inclusão de peixes como o salmão, por exemplo, aumentam as taxas de ômega 3 e 6, atuando como anti-inflamatório no organismo.

– Suco de uva integral:

na dieta original está presente o vinho, porém é mais calórico e pode acarretar outros problemas. O suco de uva integral apresenta as mesmas propriedades, tais como a prevenção de doenças cardíacas, flexibilidade muscular, prevenção de alguns tipos de câncer e prevenção de infecções bacterianas de origem alimentar.

Atividade física:

todos os dias! Seja ela qual for, é preciso exercitar-se pelo menos 30 minutos diários para estimular ainda mais o metabolismo e deixar tudo em equilíbrio.

Simples, não é mesmo?

Consulte um nutricionista, para que as quantidades ideias de cada grupo sejam dosadas de acordo com suas necessidades. Na dúvida, estamos por aqui!