Select Your Style

Choose your layout

Color scheme

Hipertensão ArteriaI Sistêmica

Hipertensão ArteriaI Sistêmica

A Hipertensão Arterial Sistêmica, também conhecida como “pressão alta”, é um dos principais fatores de risco para mortalidade por doença cardiovascular, sendo mais prevalente em homens do que em mulheres e em países desenvolvidos.

A doença se caracteriza por uma manutenção dos níveis de pressão elevados na parede das artérias, igual ou acima de 140×90 mmHg (14 por 9). O principal risco relacionado à hipertensão é a de haver lesão a órgãos alvos como aterosclerose nos vasos sanguíneos, infarto no coração, acidente vascular encefálico (derrame) no cérebro, retinopatia nos olhos e falência dos rins dentre outros muitos problemas nestes mesmos órgãos.

Em muitos casos há necessidade de uso de medicamentos por toda vida, porém adotar hábitos de vida saudáveis pode controlar os níveis de pressão, diminuindo ou extinguindo a necessidade do uso de fármacos, aumentando assim a qualidade de vida do indivíduo hipertenso. Dentre as mudanças de hábitos estão à redução do peso corporal, adoção de dieta balanceada, prática regular de exercícios físicos, redução do estresse, do consumo de sal, etc.

Exercícios aeróbios (caminhada, corrida, natação) devem ser realizados pelo menos 5 vezes por semana, sendo ideal 60 minutos por dia em intensidade moderada e com monitoração da pressão arterial antes, durante e depois do treino. Exercícios resistidos (musculação) devem ser realizados pelo menos 3 vezes por semana, não devendo ser realizado até a fadiga e sempre acompanhado por profissional capacitado.

A hipertensão arterial é uma doença silenciosa, muitas vezes não apresentando sintomas, porém deve ser respeitada e controlada, pois pode levar a graves consequências e até mesmo a morte.

 

Prof. Bruno Dall’Ava

CREF: 101119-G/SP